Testemunho – Alfredo e Albertina

[caption id="attachment_303" align="alignright" width="271"]Moveis Teles Criatividade e elegância[/caption]

Em 1998, eu, a minha esposa, e os nossos três filhos, tínhamos uma vida estável, já éramos cristãos há cerca de dez anos; estávamos ativos nos afazeres da igreja, e confiávamos em Deus. Tínhamos uma pequena empresa em crescimento, na indústria dos móveis, e tudo corria relativamente bem.

A certa altura foi-nos proposta uma sociedade, com mais duas pessoas no ramo dos estofos. Depois de refletirmos, concordamos com a idéia. Como um dos parceiros de negócio tinha alguns problemas financeiros, resultante de outros negócios, concluiu-se que seria melhor sermos nós (eu a minha esposa) os titulares da nova empresa (mantive então a figura legal de empresário em nome individual, muito embora estivesse acompanhado com mais dois sócios).

O que parecia ser uma boa idéia, depressa se tornou uma má experiência. Pouco tempo depois começamos a acumular dívidas, mas, com a esperança de recuperar a estabilidade financeira, fomos prolongando o problema e adiando uma decisão por mais sete anos. Erro nosso. Fomos de mal a pior. A ilusão de dias melhores tornou-se um problema nas nossas vidas, e o pior ainda estava para vir.

A dada altura, a sociedade desfez-se, e como únicos titulares legais, vimo-nos confrontados com uma enorme dívida. Uma herança muito pesada; um verdadeiro lamaçal. Os credores (fornecedores, bancos, segurança social, funcionários, etc.) vieram sobre nós com ameaças judiciais. Os clientes eram maus pagadores e quase todos falidos. Tínhamos três processos em tribunal e um quarto que se adivinhava. Nesse momento sentimo-nos a afundar, sem ver luz ao fundo do túnel. Os nossos piores medos tinham-se tornado realidade.

Deus é bom. Ele avisa-nos que no mundo teremos aflições, mas nós nao estávamos preparados para elas. Ele também disse para termos bom ânimo. Mas, pelo contrário, só sentíamos revolta. Um grande fardo estava sobre nós. Pesava-nos o sentimento de não ter tido a coragem de parar no tempo certo, e vinha frequentemente aos nossos pensamentos a idéia de termos estado estes anos todos a acumular dívida, sem saber quantos mais anos demoraríamos a pagá-la. Dava que pensar.

Tínhamos duas opções. Ou fugíamos do país, como muitos fazem, e ficávamos com o nome sujo sem nunca mais poder voltar com a cabeça levantada. Ou íamos à luta, confiando em Deus e enfrentando o imprevisível. Abalados mas nao vencidos, resolvemos confiar em Deus pois sabíamos que Ele nunca abandona os seus filhos. Revestimo-nos do poder dele através de pessoas amigas que se mantiveram em oração, e pusemos pés ao caminho. Fomos à luta com um grande desejo de sermos pessoas de bem, cumprindo com as nossas obrigações.

Com em tudo, nao chegava acreditar. Sabíamos que era preciso agir em conformidade. Começamos entao por fazer cortes em todas as áreas da nossa vida. Recomeçamos quase do zero. Todas as coisas – mesmo aquelas mais insignificantes – não comprávamos. Só mesmo o indispensável.

Tivemos que fazer grandes remodelações e criar novos objetivos. Saímos da fábrica onde estávamos e montamo-la num espaço vazio debaixo da nossa casa, só com um funcionário. Fizemos acordos com os credores, lembrando-lhes que a galinha viva sempre põe ovos, e que a seu tempo tudo se iria resolver se confiassem em nós.

Encontramos clientes novos e bons pagadores. Mas apenas porque Deus foi à frente a abrir caminho. Sabíamos que Deus era capaz de mover montanhas, mas tínhamos que fazer a nossa parte. Nada iria aparecer sem também nos esforçarmos.

Durante o primeiro ano, Deus abençoou-nos e ganhamos algum dinheiro. Mas entrava num saco furado; era quase tudo para os credores. Nesse período sentimos uma revolta interior que nos minava, mental e espiritualmente. Nao era justo sermos só nós a pagar, mas nao tínhamos alternativa; a pressão estava apenas sobre nós.

Certo dia veio-me um pensamento que fazia todo o sentido. “Porque andas revoltado? Não esperes que te ajudem. Perdoa-lhes, confia em Mim e vai em frente”. Só podia ser uma revelação de Deus. Só ele sabia o impedimento que eram os nossos ressentimentos para alcançar a vitória. Éramos nós que estávamos a limitar a bênção. A partir daí foi o voltar de uma página. A nossa confiança aumentou, e começamos a confessar palavras positivas. Revestimo-nos de bons livros (inspirados por Deus), que iam ao encontro das nossas necessidades, e claro, nao deixámos de ouvir a palavra de Deus na igreja.

Aquilo que parecia impossível, tornou-se realidade. A pedra de tropeço tornou-se degrau para subirmos mais alto. Tomamos consciencia de que a nossa luta nao é contra pessoas, mas contra as hostes espirituais da maldade. A montanha que parecia invencível, a pouco e pouco foi demolida.

Deus capacitou-nos para fazermos bons negócios, e gradualmente fomos amortizando as dívidas. A palavra de Deus diz para não devermos nada a ninguém. Acreditamos que Ele viu o nosso coração, pois o nosso primeiro objetivo, era pagar dívidas. Ele também diz que nos dá muito além daquilo que lhe pedimos ou imaginamos. Isso aconteceu connosco.

Para além de Deus nos dar a oportunidade de termos estabilidade financeira, atingirmos os objetivos, e andarmos de cabeça levantada, Ele nao ficou por aí e quis que tivéssemos gozo, realização e criatividade com o trabalho que fazemos.

A nossa empresa evoluiu muito. Temos boas instalações, com máquinas topo de gama e já empregamos cerca de vinte pessoas. Desenvolvemos produtos inovadores para diversos setores como a acústica, a electrónica, a iluminação e o mobiliário. Temos produtos nossos colocados em quase todo o mundo, e em espaços muito conhecidos.

Estamos muito gratos a Deus pela sua fidelidade nas nossas vidas. Em tempos de crise, conseguimos pagar todas as dívidas em cinco anos (o valor global dava para fazer uma casa); abençoamos famílias com vários postos de trabalho diretos e indiretos, e criámos riqueza para a nação.

Na vida, todos estamos sujeitos a problemas, ninguém está imune, nem os cristãos. Mas não podemos baixar os braços, pois o poder de Deus está em nós. Ele capacita-nos. Basta confiar Nele, sem nunca esquecer que há um caminho para percorrer. No entanto, sabemos que temos um guia que vai à nossa frente. Também é muito importante pensar positivo, e falar aquilo que desejamos, pois o poder da vida e da morte está na língua.

Vale a pena ser cristão. O conhecimento que se adquire é fundamental para se vencer nesta vida, e claro, garantir a vida eterna. Com tudo o que se passou na nossa vida, temos a certeza que a palavra de Deus é verdadeira. E se resultou connosco, também resulta consigo. Deus não faz acepção de pessoas.

Alfredo e Albertina