Testemunho – Prª Florinda Leirinha

[caption id="attachment_292" align="alignright" width="167"]Prª Florinda Leirinha Prª Florinda Leirinha[/caption]

Chamo-me Maria Florinda Leirinha, sou casada, mãe de três filhos e serva de Deus. Toda a doença é uma opressão e sinal de perigo mas, quando se trata de um cancro, é o mesmo que dizer que os dias estao contados. A partida chegou! Cancro é quase sempre sinónimo de morte, no sentido natural.

Aconteceu que um dia deparei com o pescoço inchado, nao ficando com isso muito preocupada. Contudo, como o inchaço nao desaparecia, logo que pude consultei o médico, que de imediato me mandou fazer os exames necessários.

Logo após os exames feitos (sendo um deles uma biópsia ao que eu pensava ser um nódulo na tiroide) o inchaço aumentou. Depois disto, tratou-se de tudo para que eu fosse operada à tiróide o mais depressa possível. O médico não me revelou exatamente o que eu tinha. Contudo, eu já pressentia que alguma coisa nao estava a correr bem.

Perante a situação criada, a Igreja logo começou a orar a Deus e a jejuar por mim. Entretanto, antes de ser operada, e sem que eu soubesse, o médico mandou chamar o meu marido para o pôr ao corrente de tudo. Foi aí que lhe contou que me detetaram um tumor canceroso na tiróide e que iriam fazer o que estivesse ao alcance deles, embora contando que em casos idênticos, a estimativa de vida para os doentes é de seis meses no máximo.

Depois da operaçao, o médico confirmou ao meu marido o que lhe já tinha dito antes. Só que havia um dado novo: realmente extraíram-me o tumor juntamente com a tiróide, mas não puderam tirar as raízes finíssimas que estavam entrelaçadas nas cordas vocais, porque se o fizessem ficava sem voz.

Eu sei que Deus não o permitiu, pois tinha um grande milagre para fazer na minha vida para trazer honra e glória ao Seu Santo Nome.

A operação foi algo moroso e delicado. Eu travava uma batalha pela minha vida, se bem que não tivesse medo da morte, pois já tinha a salvação de Jesus conforme diz o Evangelho de S. João 3:16.

Apesar de ter passado pela operação, continuava a acreditar na cura das enfermidades físicas, cura essa que Jesus garante àqueles que Nele crêem.

Decorridos três meses, fui fazer um novo exame (cintilograma) para ver até que ponto as raízes se tinham desenvolvido. Nessa altura, já me encontrava no seio da minha família e, para alegria de todos, o milagre aconteceu! 0 resultado foi negativo e nem uma raiz havia!

Continuei a fazer exames de seis em seis meses, e a seguir de ano em ano. Depois fiz exames de três em três anos e, até hoje, o resultado é sempre negativo.

Jesus é o Todo Poderoso, cheio de amor e compaixão. Ele É o único que ainda hoje SALVA CURA e LIBERTA todos os oprimidos.

Prª Florinda Leirinha