Jesus é a nossa Páscoa

A Páscoa tem a sua raíz há cerca de 3500 anos na Pessach dos Judeus – Êxodo 12.

Quando Deus disse a Moisés para conduzir os Judeus para fora do Egipto, Faraó opôs-se a essa ordem. Como consequência da obstinação de Faraó, várias tragédias se abateram então sobre o país das pirâmides, culminando a última delas na morte de todos os primogénitos (quer humanos, quer animais). Para que os primogénitos dos Judeus fossem poupados naquela hora fatídica, Deus ordenou a Moisés que cada família deveria matar um cordeiro imaculado e inocente e pintar os umbrais das portas com o seu sangue. O sacrifício desse cordeiro é uma imagem da morte de Jesus em lugar da humanidade.

Por terem desobedecido a Deus, Faraó e o Egipto choraram amargamente a morte dos seus amados filhos. Todo o pecado e toda a desobediência acarretam consequências.

A Humanidade tem vivido em rebeldia para com Deus, pelo que terá que enfrentar as consequências dessa atitude. Desde o início da história da humanidade que o homem vira as costas a Deus, e mesmo com o passar dos séculos e o acumular de conhecimento, a tendência de afastamento mantém-se igual. Mas para aqueles que se arrependem da sua indiferença e afastamento, Deus repetiu o Pessach: todos os que aceitarem o sacrifício de Jesus (que é o Cordeiro de Deus) terão acesso à salvação.

Jesus veio morrer pela humanidade, como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo – João 1:29. Quem quiser ser salvo apenas necessita reconhecer que é pecador e não consegue salvar-se a si próprio, e aceitá-Lo como seu Senhor e Salvador. Além disso, a salvação é um dom gratuito, que ninguém teria posses suficientes para pagar, nem crédito de bondade ou boas obras suficiente para merecer – Efésios 2:8-9.

Você pode ter vivido durante décadas afastado de Deus, mas se hoje entregar a sua vida nas mãos Dele, Jesus verdadeiramente passará a ser a sua Páscoa, e à semelhança do Cordeiro do Pessach, o Seu sangue cobrirá a vida do leitor desviando de si o castigo do pecado – Colossenses 2:12-14.

Por último, depois de ter sido morto pela Humanidade, este Cordeiro de Deus ressuscitou! Ressuscitou para continuar a boa obra a nosso favor, intercedendo agora por nós à direita do Pai. Jesus está vivo, e É o mesmo ontem, hoje e eternamente – Hebreus 13:8.