Não se envergonhe de Jesus

Evangelho de Lucas, capítulo 19

O capítulo 19 de Lucas fala-nos acerca de um homem que se cruzou com Jesus. Quando alguém tem um verdadeiro encontro com Jesus, nunca fica igual – pode tornar-se uma pessoa melhor, ou uma pessoa pior, mas nunca fica igual.

Este homem que se cruzou com Jesus naquele dia há quase 2000 anos, chamava-se Zaqueu.

Conta-nos Lucas que Jesus atravessava a cidade de Jericó quando este homem se apercebeu da presença dele, e que quis ver mais de perto quem era este Jesus de quem provavelmente já tinha ouvido falar.  Mas como quase sempre, Jesus caminhava rodeado de uma multidão que o ocultava do olhar de Zaqueu. Para piorar as coisas, Zaqueu era um homem de baixa estatura, pelo que não estava a conseguir ver mesmo nada…

Prosseguindo o relato, Lucas acrescenta que Zaqueu era um homem rico, e que além disso era chefe dos publicanos, que eram os cobradores de impostos ao serviço do invasor Romano. Os publicanos eram mal vistos pelos Judeus, considerados pecadores, uma vez que oprimiam os seus próprios concidadãos para lhes extorquir os impostos exigidos pelo imperador Romano. Assim, por um lado Zaqueu pertencia a uma classe social mais abastada, por outro, era desprezado por Judeus e também por Romanos, pois ambos o viam como um traidor a soldo.

Habituado portanto a dominar, a extorquir e a explorar o resto do povo, Zaqueu vê-se agora confrontado com um dilema: manter a sua pose de mauzão frio e calculista, ou perder completamente o controle e fazer algo desesperado para conhecer Jesus? A indecisão deve ter-lhe dilacerado a alma naquele momento – que fazer? Gritar como um desalmado para que Ele páre e me veja? Subir a uma árvore lá mais à frente para poder espreitar melhor? Ou manter o status e a pose e ignorar este Jesus enquanto Ele passa?

A Bíblia não nos diz quanto tempo demorou a decidir-se, mas diz que não deixou passar  aquela oportunidade e optou por subir a uma figueira! Imagino com humor aquela cena: Zaqueu, o terrível cobrador de impostos, ali, encavalitado numa figueira na estrada, à espera da multidão que se aproximava… Ver Jesus valeria todo este esforço?

Deixe-me parar aqui a acção por um momento. Por vezes na vida damos por nós no meio de situações ridículas, chegando ao ponto de nos questionarmos como é que conseguimos meter-nos em tais alhadas. Por vezes, por algo tão ridículo como uma qualquer curiosidade, por um lugar na fila do supermercado, ou na fila do trânsito, fazemos coisas de que nos vimos a envergonhar mais tarde. E no entanto, se Jesus hoje atravessasse a nossa cidade, se calhar nem nos levantaríamos para lá ir vê-lo por vergonha do que poderiam pensar de nós… Reencaminhamos emails e anedotas para todos os nossos conhecidos, e quando alguém nos envia algo sobre Jesus simplesmente apagamos a mensagem porque não queremos “dar espectáculo”.

Ora Zaqueu achou que o preço de conhecer Jesus valia muito bem dar ali “um espectáculo”. Assim, do alto daquela árvore aguardava ansiosamente que a multidão se aproximasse.

A determinada altura reparou que aquele homem no centro da multidão passou para o lado de cá da estrada. E agora até parecia que vinha na direcção da figueira. Não tardou muito para que a figueira de Zaqueu se encontrasse rodeada pela multidão, com Jesus a olhar para cima, e todos a verem o “espectáculo” de Zaqueu…

Imagine agora o que não estaria a passar pela mente deste homem: “Muito bonito, Zaqueu – porque é que te meteste nisto? Agora vão fazer troça de ti por estares em cima desta árvore. Já não te viam com bons olhos por seres cobrador de impostos, mas agora vão transformar-te na anedota do ano… Vão rir-se durante meses…”

Nesse momento Jesus pareceu ir dizer algo. A multidão parou e aguardou em silêncio as palavras do Mestre. Jesus disse: “Zaqueu, desce depressa. Quero ficar em tua casa hoje”.

Zaqueu nem sabia se havia de rir ou se havia de chorar. Diz a Bíblia que desceu da figueira com um salto e cheio de alegria recebeu Jesus em sua casa. Ora o povo que ali vivia começou logo a reprovar a atitude de Jesus, dizendo que estava a conviver com um pecador. Mas a verdade é que Zaqueu procurou Deus, e Deus estava ali estava, a responder à procura de Zaqueu.

E agora vem a prova de que Zaqueu realmente teve um encontro com Deus: a sua vida mudou a partir daquele momento. E Zaqueu tornou-se uma pessoa melhor, recebendo Jesus como Senhor na sua vida. Durante o jantar ele exclamou: “Olha, Senhor! Dou já metade dos meus bens aos pobres; e se de alguém extorqui alguma coisa, devolverei quatro vezes mais”.

Jesus lhe disse: “Hoje houve salvação nesta casa! Porque este homem também é filho de Abraão. Pois o Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido”.

Para ler a história original clique aqui: http://www.bibliaonline.com.br/nvi/lc/19